Cancro da próstata: Causas e sintomas

Cancro da próstata: Causas e sintomas

O cancro da próstata é a segunda forma mais comum de cancro que ocorre em homens. 87% dos casos da doença afeta pessoas que têm pelo menos 60 anos, mas os exames médicos devem ser realizados muito antes da sétima década de vida.

Esse tipo de câncro não se descobre rapidamente

Até este cancrô tornar-se claramente visível como um tumor, pode passar até 10 anos. Duplificação das células cancerosas pode levar até quatro anos. Se o cancro for detectado cedo, é possível usar o tratamento radical, que envolve a ressecção completa da próstata (prostatectomia), radiação e irradiação. Estes métodos são mais eficazes na luta contra o desenvolvimento de câncer de próstata. No entanto, ao longo do tempo, se deixado sem tratamento tumor invade e faz mudanças nos outros órgãos e tecidos, incluindo os gânglios linfáticos ou ossos. Então, não há possibilidade de terapia radical. A única alternativa é influenciar o desenvolvimento de cancro através de terapia hormonal ou excisão dos testículos (os testículos produzem andrógenos, que têm um impacto significativo sobre a conduta de câncro de próstata).

Quanto mais tempo atrasamos os exames preventivos, maior o risco de que vamos ter cmo única alternativa apenas tratamento sobre o sistema endócrino. Então, quando devemos começar a fazer exames e com frequência repeti-los?

Exame per rectum: nada para recear

Infelizmente, muitos homens desistem deste exame por medo do desconforto psicológico que o pode acompanhar. O diagnóstico é feito na base do exame per rectum, ou seja pelo toque no ânus com o dedo (quer dizer palpação). Para o médico, este procedimento é uma rotina pela que passa cada paciente que apresenta quaisquer sintomas. O exame leva alguns minutos, é indolor e geralmente não requer preparação especial. É feito com o uso de uma substância que reduz a fricção e desconforto associado e o médico usa as suas luvas de protecção.

Exame de PSA

O método per rectum em metade dos casos não é suficiente para se obter um resultado conclusivo. Como já foi indicado, o câncro desenvolve-se lentamente, e muito antes de aparecer um tumor. Portanto, o paciente é submetido a outros testes para determinar o nível de PSA. O PSA é uma glicoproteina produzida pela próstata, e os seus níveis elevados podem indicar alterações de cancro dentro da glândula. Mas esta não é a regra. Pode muito bem também significar outra coisa, como a inflamação da próstata ou hiperplasia prostática benigna. Quanto maior o nível de PSA, no entanto, é uma indicação para a biópsia, após qual já ter uma diagnose certa.